segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Ex - Parte 3 - 2ª Namorada - Raimunda*

*Nomes fictícios, para preservar as identidades das pessoas envolvidas!

Ah, a 2ª namorada!
Depois da primeira namorada, começamos a pensar de maneira diferente sobre as que possivelmente virão depois.
Não quero parecer egocêntrico, mas acho que a segunda namorada foi a que mais gostou verdadeiramente de mim!
Como eu já havia dito anteriormente, conheci a Raimunda*, dentro de um grupo de danças folclóricas.
Ela era uma novata e eu fui incumbido de passar as coreografias pra ela.
Apesar das dificuldades iniciais para pegar as coreografias, ela foi aos poucos aprendendo direitinho.E isso nos aproximou muito, pois ela sentia confiança em mim.
Minha ex-namorada morria de ciúmes dela por isso e não podíamos evitar o contato.
O grupo do qual fazíamos parte, tinha uma viagem programada para Mosqueiro.Como a viagem era muito cedo, resolvemos todos dormir na casa do nosso instrutor.Raimunda e eu acabamos dormindo juntos numa mesma cama de solteiro.A noite foi tensa, muito tensa...rolou o 1º beijo!
Passamos praticamente a noite toda acordados, apenas conversando.

A viagem foi inesquecível, fomos juntos no ônibus, andávamos juntos por quase todo o lugar!
Meses se passaram e continuávamos firmes e fortes!
Chegou então o dia de conhecer seus pais.Foi tenso, muito tenso...o pai dera era policial civil!
Imaginem o questionário a que fui submetido.Felizmente passei no "Teste do Pai" (a mãe eu já havia conhecido antes de namorarmos).
-O que você faz?
-Trabalho num hotel
-Quanto tempo conhece minha filha?
-3 meses
-Onde se conheceram?
-No grupo de dança
-Você sabe que ela é minha única filha, não sabe?
-Sim, sei
-Vai respeitá-la?
-Sim, senhor (já estava suando frio nessa hora)
-Sabe no que trabalho?
-Sim, o senhor é investigador da policial civil!
-Então já sabe, né?Muito cuidado com ela!Vou confiar em ti!
Ele se levantou, apertou minha mão e perguntou:
-Qual teu time?
-Torço pra Tuna Luso
-Menos mal, remistas não entram aqui (falou sorrindo, em tom de brincadeira)

Depois disse as condições para namorar sua filha e então ele pediu uma pizza.Foi uma noite legal, depois da tensão do questionário!

Permissão dada e benção concedida, começamos o que chamamos de "namoro de porta".
Quase todo o final de semana, a gente namorava de "porta", já que durante a semana, ela tinha que estudar (uma das condições pra namorar com ela).

Foi uma relação tranquila durante 2 anos, e as coisas já estavam ficando rotineiras.E justamente por isso e devido à intimidade natural do tempo, começamos a encontrar motivos pra brigar quase a todo o instante.Tudo era motivo para embates de palavras e choque de opiniões.
Mas sempre nos entendíamos no final.

Raimunda era muito tempestuosa e queria sempre fazer confusão com todas as pessoas que a tiravam do sério, e como eu também sou muito "pouquista" (gosto de tirar sarro com as pessoas, só para tirar do sério rsrs), a gente se estranhava quase sempre!

Raimunda terminou comigo, no dia 26 de junho de 2002, dia da semi-final entre Brasil x Turquia, pela Copa do Mundo!

Alegou estar de saco cheio de tantas brigas bestas!

A principio não havia aceitado, e ainda tentei reatar por alguns dias e diante de suas recusas, eu enfim, aceitei, mesmo que inconformado!

Fui em sua casa conversar com os pais dela e expliquei o ocorrido, e me despedi deles!
Os mesmos também não acreditavam e não aceitavam o nosso rompimento!

Desde então, nunca mais encontrei Raimunda na vida!
Somente encontrei com o pai dela numa seccional, quando estava lá resolvendo problemas envolvendo a minha futura 3ª namorada.

Na ocasião ele me disse que Raimunda estava morando em Santarém e que lá fixou residência.Ele me contou também, que logo que terminamos, ela se tornou "rebarbada" com eles e que sentia a minha falta.Mas o orgulho dela fez com que ela nunca me ligasse pra pedir pra voltar e eu também já havia desistido!

Apenas um telefonema poderia mudar todo um futuro...

Orgulho, que sentimento mais estranho!!!
Postar um comentário